A chave

A chave do problema.
A chave
Advertisements

É necessário encontrar a chave do problema, isto se for problema! A solução não será por falta de chave, mas sim encontrar a chave correta! E não consta que a chaveta resolva o problema! Precisamos da porta com a fechadura certa! Não serve qualquer fechadura, de qualquer porta, muito menos fecha mole!

Por muitas poras que existam, procura-se a da fechadura certa, a única em que a chave, depois de entrar, faz com que a engrenagem gire e recolha o trinco para que possamos ver o que está para além dela! E não chega ver! É preciso entrar, aproximar e fazer a perceção dos elementos que lá se encontram, e mesmo no vazio dos objetos, há perceção de elementos químicos invisíveis limitados pelas superfícies de chão, tetos e paredes! Pode ser apenas uma chamada para trabalhar o olfato e a respiração!

Advertisements
Advertisements

E muito há que fazer no vazio!
É no vazio, longe de elementos dissuasores que a concentração se faz e a reflexão se desenvolve, sustentada nos sentidos! Sentidos proibidos, sentidos obrigatórios, sentidos livres de conceitos apagados para que se faça a construção dos pós conceitos!

Põe-se a possibilidade de nos esconderem a chave do problema!
Claro, essa chave é apenas o preconceito para a solução do problema, como que, se ao passarmos a porta, esse problema pudesse ter solução! Não, a fuga para o outro lado não resolve nada! Serve apenas para o mascarar! É na presença do problema, sem fugir dele, que ele se resolve! Se precisamos de vazio para a reflexão, basta fecharmos os olhos e escutarmos o silêncio, com os elementos que constituem o espaço vazio!

Advertisements
Advertisements

Depois basta abrir os olhos e criar a simbiose entre os elementos de reflexão e os elementos do problema! Se os elementos do problema insistirem e não permitirem a solução, é pegar neles e agudizá-los ainda mais para que o problemase autodestrua!

Inspiração na base da nova iconografia para reorganização do ambiente de trabalho do Windows 11. Porque todas as coisa tem um significado, mesmo que não tenham!

A simplicidade de bauhutte

Da complexidade da construção geométrica à simplicidade de bauhutte, pelos estudos de Almada Negreiros para a determinação do ponto de bauhutte. Um jogo de luz e sombras num ambiente virtual de modelação tridimensional.

Advertisements
Advertisements
Advertisements
Advertisements
Advertisements
Advertisements
Advertisements
Advertisements

Clara Chia Marti

Nem tudo que Chia é claro, nem amarti o é! O assunto anda à roda de Clara Chia Marti! É o chiar do mediatismo! Por muito que me queira alhear do assunto, ele aparece por todo o lado! Deixem a rapariga em paz! Qualquer anormal faz uma coisa qualquer e ninguém reage! Uma figura mediática faz qualquer coisa, é logo o fim do mundo! Que mundo é este em que vivemos, que vive envolto de ignobilidades e perde-se tempo com a vida alheia! Está a transformar-se numa prisão social!

Advertisements
Nem tudo que Chia é claro, nem amarti o é! O assunto anda à roda de Clara Chia Marti!
Esta imagem, nada tem a ver com, Clara Chia Marti
Advertisements
Advertisements

depois do ovo

Depois do Ovo para, vem as sombras, modelado pela luz e pelas sombra que nele se deleitam.

Advertisements
Advertisements
Advertisements
Advertisements
Advertisements
Advertisements

ovo

Depois do Ovo de Colombo, e muitos anos volvidos, com coisas de uma realidade real, vem outras de uma realidade virtual!
Modelação tridimensional de um ovo, com base na fotografia publicada no artigo “Ovo de Colombo”, neste site.

Advertisements
OVO
OVO
Advertisements
Advertisements
OVO
OVO
Advertisements
Advertisements

Bilha de rosca

Advertisements
Advertisements

Inspirada na bilha de rosca, este é um design da evolução do que poderia ser um recipiente para bebidas. Tratando-se de uma forma simplificada de tradicional bilha de rosca, foi acrescentado o elemento de supressão de vácuo. Esse elemento, de primordial importância, chamado de respiro, garante a fluidez na saída dos líquidos do seu interior.

Advertisements

De rosca

Advertisements
Advertisements

Inspirada na bilha de rosca, este é um design pimário daquilo que poderia ser um recipiente para bebidas. Trata-se de uma forma simplificada de tradicional bilha de rosca, onde um elemento de supressão de vácuo terá de ser acrescentado. Sem esse elemento, chamado de respiro, a fluidez na saída dos líquidos do seu interior, encontra-se comprometida.

Advertisements
Advertisements
Advertisements

Azul do céu

Abandonado e em ruinas, são muitos os edifícios de janelas voltadas para o azul do céu.

Advertisements
Advertisements

Passagem até à luz

De porta em porta existe uma passagem até à luz.