povo de fora

Povo de fora que dá corpo ao povo de dentro.

De dentro de uma cidade que tem nome de Viana.

Viana do Castelo, com castelos variados, faz uma festa anual, com espetáculos e tal.

O cortejo é um deles, cena, cenário encenado, é momento de figuração.

São as festas D’Agonia, entre cenas encenadas, há gente que desatina, em cenas representadas, mas há gente genuína.

Quem vê percebe ou não, mas gosta porque está à mão!

Findo o espetáculo, muitos forçam a partida, entre atropelos da ida, vão vencendo o obstáculo.

Muito havia que dizer, sobre cada fotografia! Diga lá o que quiser, sobre esta romaria!

O retrato diz tudo

Por muitas palavras que se procurem, há imagens em que essas palavras são difíceis de associar porque a imagem por si diz tudo! Apesar de ser um momento encenado, a expressão da criança não deixa de ser genuína! Todo o ambiente é recriado, toda a figuração é representativa, o cenário tem adereços próximos da realidade ancestral, mas a expressão da criança é real! O retrato diz tudo!

Foi assim, mais um retrato no cortejo da Romaria da Senhora D’Agonia.

O futuro vem ai
O futuro vem ai

trasladação da santa

Um dos momentos mais importantes no final das Festas da Senhora da Agonia, é a trasladação da santa. Trata-se do regresso do andor da Nossa Senhora da Assunção, que fez parte da Procissão Solene da Romaria, à sua Igreja, Igreja Matriz (Sé de Viana do Castelo), em procissão religiosa, acompanhada pelos fieis, quase todos residentes locais. É um momento religioso de relevância que passa despercebido à quase totalidade dos forasteiros e a grande parte da população vianense, fazendo parte do panorama cultural e religioso.

zés pereiras

Não sei porquê, mas sempre conheci estes homens como zés pereiras. Já ouvi chamar-lhes bombeteiros, mas sejam lá o que forem, são verdadeiros animadores ao ribombar dos tambores, a par dos gigantones e cabeçudos nos desfile das Festas da Agonia, na Praça da Republica, em Viana do Castelo.Pausa para retemperar forças.

Fonte: zés pereiras Foto de Rafael Peixoto | Olhares – Fotografia Online

revista de gigantones e cabeçudos

É na revista de gigantones e cabeçudos que na pausa do desfile, os populares juntam-se para o tradicional retrato.Momentos das Festas de Nossa Senhora D’Agonia.

Fonte: revista de gigantones e cabeçudos Foto de Rafael Peixoto | Olhares – Fotografia Online

fogo do fim

É no fogo do fim que culminam as festas de Nossa Senhora D’Agonia em Viana do Castelo. E se por um lado é fantástico registar os bouquet pirotécnico na sua perfeição, por outro lado não consigo conceber este espectáculo sem pessoas porque elas são essenciais para o sucesso de qualquer festa. Há muitos anos que vejo um total desinteresse por parte das gaivotas!

Fonte: fogo do fim Foto de Rafael Peixoto | Olhares – Fotografia Online

Serenata das Festas de Nossa Senhora D’Agonia

Um dos momentos espetaculares da romaria das Festas de Nossa Senhora D’Agonia é a Serenata, num espetáculo de fogo de artificio sem par, com um dos momentos altos centrados na cachoeira, deixando a Ponte Eiffel iluminada com uma cascata de fogo. Esta animação representa um ínfima parte do espetáculo.

19 de agosto

19 de Agosto, dia mundial da fotografia, não fica em claro ao meu olhar, mas não gosto muito deste tipo de comemorações, principalmente quando não há respeito pelos fotógrafos, sejam profissionais ou amadores! Dos profissionais há que referir que no exercício da sua atividade merecem todo o respeito porque de uma forma profissional constroem histórias que muitas vezes não são reconhecidas. Os registos fotográficos são documento que falam por si e se muitos acham a fotografia banal, muito à custa da evolução tecnológica, recordemos os fotógrafos do passado que calcorreavam processos técnicos que dependiam do conhecimento adquirido com muita experiência e em que os recursos didácticos não estavam disponíveis na net à distancia de um “tag”. O tratamento da fotografia, hoje chamado de edição, que também se faz, mas sem o devido enquadramento, é quase intuitivo e qualquer habilidoso o consegue fazer, bem ou mal, assume uma ostentada postura, de tal forma que começa a considerar-se um “expert” em fotografia! Mas a fotografia deve conservar alguns princípios que a mantenham genuína, caso contrário, temos apenas editores gráficos que de fotografia nada sabem!

Considero ainda que os motivos que regem um dia mundial deveriam ser válidos 365 dias por ano, podendo ser esquecidos uma vez de quatro em quatro anos, ou seja, um dia nos anos bissextos!

Desta forma, os dias mundiais são no mínimo ridículos!

Quanto aos fotógrafos amadores, que os há em grande numero e alguns muito bem bons, são dignos do nome quando sabem respeitar o próximo (fotografo)!

Mas registe-se que no meu ponto de vista existe mais uma figura no teatro da fotografia! Se até há pouco existiam fotógrafos profissionais e fotógrafos amadores, estão a aparecer em grande numero uns seres que entram no mundo da fotografia e a que eu chamo de cliqueiros!

E o que são cliqueiros!?

São pessoas que se dedicam aos cliques e que sem qualquer autoanálise crítica, espalham imagens sem qualquer cuidado ou qualidade como de grandes registos se tratasse, descredibilizando aqueles que de uma forma responsável produzem imagens de excelência.

E porque é que aparecem repórteres de vídeo!? Porque um repórter de vídeo precisa de ter muitos conhecimentos de fotografia.

Aparte disso, deixo aqui a minha homenagem ao dia mundial da fotografia, repudiando uma pergunta que surgiu nas redes sociais, sobre se “existe o dia mundial do fotografo!?”, pelo facto de a fotografia só existir porque há fotógrafos!

Nesta seleção de fotografias, fiz uma escolha onde aparecem fotógrafos profissionais, fotógrafos amadores e “qui ça”, algum cliqueiro! Registos ocorridos durante o Desfile da Mordomia nas Festas da Senhora da Agonia, em Viana do Castelo.

Nossa Senhora D’Agonia

Padroeira das festas, protectora dos pescadores, as festas de Nossa Senhora D’Agonia, em Viana do Castelo, são umas festas religiosas com muita tradição, muitas vezes subestimadas pela força da máquina comercial que acaba por garantir a manutenção dos custos que as sustentam. Procissões, cortejos e fogo de artificio, trazem à cidade um elevado numero de turistas que estimulam a animação. No entanto, esta santa é o verdadeiro ícone do evento.

Nossa Senhora D'Agonia
Nossa Senhora D’Agonia