entre a neve e a ruralidade

Existe um património que se vai perdendo, fruto do progresso. Algo se tem feito para preservar esse património, obras de arquitectos sem canudo. Gentes que construía com o saber e que estudavam no laboratório do conhecimento ancestral e da experiência do quotidiano, sem filosofias de catedráticos, mas baseados na filosofia do saber fazer com base na experiência e na observação. Grandes conhecedores da simplicidade, sem ser arquitectos ou engenheiros, criaram obras de arquitectura e de engenharia que permitem aos catedráticos de hoje, criar obras com sabedoria quando se respeita o conhecimento e técnicas que foram testadas durante centenas ou milhares de anos.

Website Powered by WordPress.com.

Up ↑

%d bloggers like this: