bauhutte de Almada Negreiros

Advertisements
Advertisements

Analisando o ponto de bauhutte de Almada Negreiros e comparando com o de Lima de Freitas, não existe semelhança, e à posteriori, poderíamos entender que se tratasse de uma forma de obtenção do referido ponto misterioso pelo método errado.

Advertisements
Advertisements

Sem qualquer pretensão científica, de fundamento apenas reflexivo, ambos estão corretos. Por seu lado, o ponto de bauhutte de Lima de Freitas, apresenta uma construção que leva a uma diversidade de simetrias, enquanto que o de Almada Negreiros poderia considerar-se não gozar de qualquer aparente simetria. No entanto, e observando as três formas que determinam o ponto, e que segundo a lenda; “Um ponto que está no círculo. E que se põe no quadrado e no triângulo. Conheces o ponto? Tudo vai bem.
Não o conheces? Tudo está perdido.”; não especifica a que tipo de triângulo se refere e por si só não determina se está correto ou errado! Mais uma vez reforço a ideia de que ambos deverão estar corretos. E porquê? Porque depois da justificação sucinta apresentada sobre o ponto de bauhutte de Lima de Freitas, cabe-me agora argumentar em relação ao ponto de bauhutte de Almada Negreiros. Assim, a construção que Almada Negreiros apresentada, não deixa de ter a sua validade. E senão vejamos; O triângulo que é usado nessa construção é baseado no terno pitagórico, onde o conjunto de três números naturais de valor 3, 4 e 5 ou seus múltiplos, formam um triângulo rectangulo perfeito, geometria essencial ao desenvolvimento de esquadrias perfeitas com recurso às técnicas mais elementares de alinhamentos na construção. Assim sendo, também Almada Negreiros detém a razão do conhecimento de referido ponto.

Advertisements
Advertisements

Apesar disso, Lima de Freitas também terá a sua razão, tal como outras razões que possam advir de outros estudos e análises, desenvolvidas de forma geométrica ou matemática.

bauhutte de Lima de Freitas

Na determinação geométrica do ponto de bauhutte de Lima de Freitas, que alegadamente será a forma correta de determinação do ponto, existe um construção geométrica de alguma complexidade. O resultado, em relação ao método que Almada Negreiros determinou, diz Lima de Freitas que o mesmo não era o correto! O meu ponto de vista é que ambos estão corretos, embora a construção usada por Lima de Freitas para a obtenção do misterioso ponto de bauhutte pode ser simplificada! Não sou detentor de um estudo detalhado sobre o seu trabalho, mas posso divagar sobre o assunto. Terá Lima de Freitas chegado à mesma conclusão!? Não duvido que possa ter acontecido, mas como no “ovo de Colombo”, onde a partir da revelação do segredo todos se tornam iluminados, talvez Lima de Freitas tenha mantido o segredo. Respeitando essa forma de pensar, deixo no ar essa ideia de simplificação, sem revelar como é possivel, sugerindo a todos aqueles que o façam que mantenham o devido sigilo.

E assim, Lima de Freitas pode ter chegado ao ponto de bauhutte, que no meu ponto de vista, atendendo à sua origem, pode ser considerado o mais correto porque permite simetrias geométricas, simetrias essas que fazem parte da arquitetura gótica e muitas outras arquiteturas de estilos que se lhe seguiram, já que consta que este ponto era conhecido dos arquitetos e mestres de cantaria de então e que tem seguido até a atualidade, embora esquecido ou não referido.

No entanto, embora Almada Negreiros tenha apresentado outro método, também ele tem uma correlação com a realidade e métodos construtivos ancestrais, mas será tema de artigo próprio.